Tag Archives: videogame

Cortina de banheiro

3 jan

Se o distinto é fã dos games da série Portal vai achar que essa cortina  de box do Aperture Labs vai dar um toque todo especial no seu banheiro.

Sai por US$ 15.

 

Anúncios

Vá arrumar seu quarto, menino!

11 dez

Pois é, estou ficando velho. Percebi isso, entre outras coisas, quando comecei me sentir incomodado de ficar com a sala de casa parecendo o quarto de um moleque de 13 anos toda vez que decido jogar videogames. São caixas, discos e controles para todos os lados.

Se o distinto também compartilha desse pequeno desgosto em relação ao tempo, então talvez se interesse em adquirir uma torre organizadora dessas para poder se esbaldar sem transformar parte de sua casa num vórtice de entropia.

Tem capacidade para 38 games e dois dos controles de seu Xbox. O problema é o preço: 38 libras esterlinas (o que dá mais de 100 Reais pelo câmbio de hoje) mais despesas de envio. Mas se o distinto não está com paciência de esperar o lançamento de uma versão nacional mais baratinha. Pode encomendar o seu aqui.

Retrogaming

24 out

Saudades daquelas tardes gloriosas nas quais suas únicas preocupações eram aniquilar horda sobre horda de invasores espaciais de 8-bit doidinhos para invadir sabe lá Deus, saltar sobre as cabeças de crocodilos ou se manter driblando fantasmas por um labirinto lotado de lanchinhos pixelados? Sim, estou falando de Space Invaders, Pitfall e Pac-Man! E que tal aquele calo na palma da mão toda vez que o distinto se metia a jogar Decathlon?

Retrogaming anda na moda, mas nem todo mundo é dedicado o bastante para conseguir manter um Atari 2600 de 25 anos funcionando para ter uma experiência autêntica e, convenhamos, as versões em flash ou emuladas dos jogos clássicos quase sempre deixam a desejar. Nesse caso, Atari Flashback 3 pode muito bem ser a melhor coisa que já te aconteceu.

 

O dito cujo é praticamente um réplica exata do saudoso 2600 e vem com um par de joysticks clássicos, compatibilidade com as TVs modernas e mais 60 jogos inclusos na memória. A seleção deixa a desejar (nenhum dos quatro jogos que eu citei aí em cima, por exemplo, está na lista), mas acho praticamente impassível que a Atari não esteja pensando seriamente em vender outros jogos para essa plataforma.

Custa 50 Libras aqui.

A dica é do Rock and a Hard Place

Sega iPhone

9 set

Nos anos 90, os jogadores de videogame se dividiam em duas tribos arquirrivais: Nintendo e Sega. Eu era um Sega. Embora minoritários, eramos irredutíveis e acreditávamos que havia bons motivos para otimismo no futuro. Naqueles tempos, acreditávamos que  nos engalfinhariamos até o final dos tempos sob os estandartes do encanador italiano e o porco espinho azul. Até que houvesse apenas um. Mas aí a Sony e a Microsoft viraram o mundo dos games de ponta cabeça. Foi o nosso fim. Hoje a Sega praticamente saiu de cena.

Ficou um saudosimo que às vezes dá as caras como no caso dessas capas em policarbonato para iPhone inspiradas nos saudosos consoles da Sega.

Da esquerda para a direita temos o Megadrive , o Saturn e o Dreamcast. O distinto pode adquirir eles por US$ 27 aqui, aqui e aqui.

Pac-Man

7 set

Ontem mesmo listamos algumas das semidivindades dos videogames, mas acho que eu acabei deixando de fora a maior e mais longeva de todas elas: o imortal Pac-Man. Tudo bem que o comedor de pastilhas anda meio sumidão — apesar de uma aparição relâmpago e pra lá de brilhante no Google que deve ter apresentado o personagem clássico do Atari a uma geração de moleques por aí.

Mesmo assim, o bom e velho Pac-Man e sua trupe de perseguidores fantasmagórios continua enraizada no imaginário da uma geração que vem acompanhando a evolução dos videogames desde antes dos tempos dos 8 Bits.

Para os mais nostálgicos, a Perpetual Kid acaba de lançar esse conjuntinho de brinquedinhos de corda. Ele reproduz o  Pac-Man e o Blink — não sei se o distinto sabe, mas cada um dos quatro fantasmas têm um nome e uma “personalidade” diferente —. com dá reproduzir algumas das perseguições mais memoráveis da história dos games.

Custa US$ 10 o par.

Mega Man

6 set

Criado em 1987, Mega Man se tornou um dos personagens mais importantes da história dos videogames. Com mais de 48 (!) jogos próprio — sem contar as aparições nos títulos da série Marvel vs Capcom — para diversas plataformas, desenho animado, HQs, brinquedos e aparições em qualquer outra tralha  na qual a Capcom conseguisse estampar a imagem de seu simpático robozinho azul e vender. Dá para colocar a criatura do Dr. Light  no mesmo patamar do popular encanador da Nintendo ou do acelerado porco-espinho da Sega.

O que não falta são produtos com o azulzinho, mas essa estatueta metalizada é particularmente interessante. Está em pré-venda por US$ 60 aqui.

 

Notebook dos sonhos

3 set

O Razer Blade não é o notebook da vovó. Ele vem equipado com tela LED de 17 polegadas prontinha para alta definição, o processador mais parrudo da Intel e a placa gráfica mais parruda da NVIDIA. É perfeito para gamers da pesada que não ligam de gastar uns caraminguás a mais por poder de fogo o bastante para rodar os jogos em resoluções que fariam seu XBox 360 dar 3RL de vergonha.

De quebra ele vem com uma pequena tela LCD que também é touchpad multitouch — assim o distinto pode ver direitinho o que está fazendo — e mais 10 teclas programáveis que deixam os poderes e ações que você mais gosta ao toque de um botão

Tudo isso, é claro, custa uma fábula — US$ 2.800 — e pode ser comprado por aqui quando as vendas forem iniciadas lá pelo final do ano.

Sofá Space Invaders

1 set

Criação do designer russo Igor Chak, o sofá Retro Alien Couch coloca um dos invasores do espaço do clássico absoluto da era do arcade Space Invaders na sala de sua casa em toda sua glória dos gráficos < 8bit!

 

Só avisando que a peça aí em cima é uma versão 3D renderizada e não uma foto de verdade, é bom ter isso em mente se o distinto estiver pensando seriamente em desembolsar os U$ 5 mil (!) que o designer está cobrando pela peça. Por mais divertida que ela vá ficar na minha sala, essa é uma quantidade de dinheiro que precisa ser seriamente ponderada antes de ser gasta.

Se, mesmo assim, o distinto estiver resolvido a comprar essa beleza. Ela está a venda aqui.

 

Santa miniatura maneira, Batman!

17 ago
O Batman tem uns dois milhões de encarnações. Além dos autores de quadrinhos viverem jogando uma luz nova sobre os mais de 70 anos de cronologia do homem morcego, um bom nerd precisa se manter em dia com uma infinidade de outras versões do personagem: o da série de TV dos anos 60, os dos quatro longas execráveis da fase pré-Nolan (Batman, Batman – O Retorno, Batman Eternamente, e Batman e Robin), o dos três assinados por Christopher Nolan (Batman Begins, Batman – O Cavaleiro das Trevas e o não-lançado The Dark Knight Rises), o da(s) série(s) animada(s) da Warner, o do futuro, o da interessante — mas nem tão fiel — serie de animação The Batman, o da deliciosa Batman – Os Bravos e Destemidos… é Batman pra chuchu!
Como não fosse trabalho o bastante acompanhar tudo isso, desde o lançamento de Batman: Arkham Asylum em 2009, já dá para começar a ensaiar a incluir os videogames no canon do personagem. A conferir se a sequência Batman: Arkham City — prestes a ser lançada — consegue manter o gás.
Para colocar várias das versões do justiceiro de Gotham City debaixo de um mesmo guarda-chuva, a Mattel lançou a coleção de figuras de ação  Batman Legacy que já está adiantando o expediente em relação ao novo game. As figuras baseadas em Arkham City já estão em pré-venda (entram em linha em novembro) por satisfatórios US$ 30. Dá só uma olhada que primor.
O Robin e o Coringa aí em cima têm 15 centímetros e podem ser adquiridas aqui.

Valeu, Mário! Mas a princesa está em outra propriedade.

11 ago

A fabricante de brinquedos global Hasbro e a gigante japonesa dos videogames Nintendo juntaram os trapinhos para lançar uma versão customizada do jogo de tabuleiro clássico Monopólio — ou Banco Imobiliário dependendo de sua faixa etária e predileções filosóficas.

Aposto que o distinto até já consegue ver onde isso está indo. As peças e os novos das propriedades do jogo de tabuleiro foram substituídas por nomes que fazem referência aos jogos da Casa do Encanador Bigodudo. Dá para fazer coisas bacanas como comprar as princesas Peach ou Zelda, mas, tirando a parte estética da coisa, o resto permanece tudo como dantes no quartel de Abrantes.

 

 

O distinto consegue comprar o bichinho aí na Amazon por mais ou menos US$ 30.